fbpx

Lâmpadas LED não serão vendidas sem o certificado do Inmetro.

Atualmente metade das lâmpadas LED comercializadas no Brasil é irregular. Para conseguir uma certificação do Inmetro são necessários quatro meses de testes. Agora as lâmpadas de LED que estão à venda por todo país precisam do certificado do Inmetro, essa regra válida para os grandes varejistas desde 2017 vale, a partir de agora, para todo o comércio.

As lâmpadas LED são muito procuradas no mercado, principalmente no comércio popular de São Paulo, porém são todas vendidas sem garantia e sem a certificação do Inmetro.

As lâmpadas de LED são fabricadas para durar bastante, quase três anos. Mas as vendas irregulares devem acabar com as novas normais em vista.

“Todos os fabricantes e importadores por obrigatoriedade têm que cumprir com essas normas”, explica Paulo César Mundel, diretor de marketing e vendas.

Um dos laboratórios autorizados pelo Inmetro para fazer os testes que fazem parte do processo de certificação é dividido em diversas etapas. Na primeira etapa, é isolada numa esfera toda a interferência externa do ambiente para poder medir a quantidade de luz gerada pela lâmpada e a eficiência dela.

“As lâmpadas vêm aqui para a sala de vida e permanecem aqui ligadas por três mil horas. Depois elas retornam para a esfera onde novamente é realizado o ensaio de fluxo luminoso”, diz Dalmo Macedo Terra, gerente técnico do laboratório.

São quatro meses de testes para conseguir a certificação. Sem essas garantias de eficiência, a gente corre o risco de segurança, diz Paulo César Mundel.

“Vai desde um produto pode dar um curto-circuito e pegar fogo numa casa até o mais básico que é comprar uma lâmpada para iluminar e você vai comprar um produto que vai acender e vai iluminar muito pouco. Quando o preço estiver muito barato, desconfie, desconfie porque não há milagre”, explica ele.

Confira o vídeo completo da matéria em: https://goo.gl/gMvDFp

Entre em contato conosco

VOLTAR AO TOPO